6 de agosto de 2021

Presidente Jair Bolsonaro é internado às pressas e tem agenda cancelada por três dias

Registro pós intervenção cirúrgica causada por facada em 7 de setembro de 2018 contra Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro chegou a São Paulo no início da noite desta quarta-feira (14). Antes, deu entrada nesta madrugada no Hospital das Forças Armadas (HFA) em Brasília com dores abdominais e crise de soluço persistente há 10 dias. Em meio aos exames, ainda está sendo avaliada a necessidade de uma possível cirurgia de emergência. Essa seria a sétima cirurgia realizada pelo chefe do Executivo após a facada recebida em 2018, durante a campanha eleitoral, em Juiz de Fora (MG). A última, foi realizada no dia 25 de setembro, para a retirada de um cálculo vesical. O Presidente já passou por seis procedimentos cirúrgicos desde que foi esfaqueado durante sua campanha eleitoral, em Juiz de Fora (MG).

Novos exames vão indicar se há necessidade de cirurgia

O presidente Jair Bolsonaro ficará internado no Hospital Vila Nova Star, zona sul da capital, pelos próximos dias. Mais cedo, o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), filho do presidente, afirmou que o pai estava se sentindo bem após a internação no Hospital das Forças Armadas, em Brasília. Segundo o parlamentar, o presidente ficará em observação por três dias, para analisar a necessidade de procedimentos adicionais, inclusive uma eventual nova cirurgia.

Até então, o diagnóstico seria obstrução intestinal. Em entrevista à rádio Jovem Pan, o parlamentar relatou que o chefe do Executivo chegou a ser intubado por precaução na UTI. O parlamentar acrescentou que o estresse pode ter sido causador da crise.

“Ele fez alguns exames de imagens também, em que foi constatado um entupimento no seu intestino, com muito líquido no estômago. Então isso tudo foi monitorado. Ele foi realmente para uma Unidade de Tratamento Intensivo, sim, para ficar em observação com cuidados melhores. Chegou a ser intubado, sim, para evitar que ele broncoaspirasse o líquido que estava vindo do seu estômago. Isso já havia acontecido em cirurgias passadas, por precaução, nada de grave”, afirmou.

Ainda de acordo com Flávio, não há definição se o presidente terá de se licenciar do cargo.  
A decisão de transferir Bolsonaro para São Paulo foi tomada pelo médico Antonio Luiz Macedo, responsável pelas cirurgias no abdômen do presidente. Por causa internação, a agenda do presidente foi cancelada. Nesta manhã, ele participaria de uma reunião entres os presidentes do Judiciário, Executivo e Legislativo, para discutir as relações entre os poderes. O encontro será reagendado.

Primeiros sintomas

O presidente Jair Bolsonaro se sentiu mal e precisou abandonar um jantar com empresários em um restaurante durante visita à cidade de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, na noite desta última sexta-feira (9). 

Mas desde que chegou à Caxias do Sul-RS na tarde desse mesmo dia, Bolsonaro soluçava muito e tinha dificuldade para falar. Quando discursava durante a abertura da 1ª Feira Brasileira do Grafeno, na Universidade de Caxias do Sul (UCS), no Rio Grande do Sul, teve um ataque de soluços que o impediu de continuar o discurso.

O problema já havia se manifestado ultimamente. Na quinta-feira (8), por exemplo, durante transmissão ao vivo pelas redes sociais, o presidente mencionou que o soluço já durava dias. Segundo ele, os espasmos podem ter surgidos com medicamentos de um pós procedimento odontológico que foi submetido no dia 3 de julho.

Bolsonaro pode ainda passar por cirurgia para tirar parte do intestino

O presidente Jair Bolsonaro está com uma inflamação no intestino e, diante desse quadro clínico, pode ser necessária uma cirurgia de emergência  para retirar uma pequena parte do órgão, de acordo com seu médico Antônio Luiz Macedo, que o diagnosticou a com suboclusão. Em boletim médico divulgado na noite desta quarta-feira (14), a equipe médica informou que, por enquanto, está descartada intervenção cirúrgica e o presidente receberá tratamento conservador, ou seja, à base de medicamentos e outros procedimentos não invasivos.

Com informações da Agência Brasil 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *